Segunda-feira, 26 de setembro de 2022, às 12:39:41- Email: [email protected]




Entenda o que muda após Bolsonaro sancionar lei que derruba o rol taxativo

Presidente sanciona sem vetos legislação que obriga convênios a pagar tratamentos que, mesmo fora da lista da ANS, tenham eficácia comprovada. Operadoras alegam que mensalidades podem subir e preparam recurso à Justiça

Raphael Felice

(crédito: Jorge Lopes/EM/D.APRESS)
O presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou ontem, sem vetos, o projeto de lei (PL 2.033/2022) que derruba o chamado rol taxativo de tratamentos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Com a sanção da nova lei, os planos de saúde serão obrigados a realizar tratamentos, exames e demais procedimentos terapêuticos, mesmo para doenças que não constam na lista da ANS.

- Advertisement -

Aprovado no Senado em 29 de agosto, o projeto gestado na Câmara dos Deputados foi criado para responder a uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Em 8 de junho, a corte determinou a lista da ANS como taxativa, ou seja, retirou a obrigatoriedade dos convênios de saúde de cobrir procedimentos para tratar doenças que não constem na relação. Com o projeto sancionado pelo Palácio do Planalto, o rol voltará a ser apenas exemplificativo, um norte para o que deve ser financiado pelos convênios aos usuários do serviço.

No entanto, há regras para um tratamento fora da lista da ANS ser coberto por planos de saúde. O procedimento médico deve ter eficácia científica comprovada ou possuir recomendação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), que é um órgão auxiliar do Ministério da Saúde encarregado de contribuir para a revisão de protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas.

A derrubada do rol taxativo uniu integrantes do governo à oposição dentro do Congresso Nacional. Pelas redes sociais, deputados federais e senadores comemoraram a sanção presidencial. Entre eles, o relator da proposta, o senador Romário (PL-RJ), que anunciou a sanção antes mesmo da confirmação do Palácio do Planalto e comemorou a oficialização da medida nas redes.

“A vida venceu! Esse rol estava limitando a cobertura dos planos de saúde e colocando em risco a vida de milhares de pessoas ao negar tratamentos de saúde importantes a quem precisa. Nós jogamos juntos e alcançamos essa grande conquista”, disse o senador, que é membro da base do governo federal.

O líder da oposição Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também usou o Twitter para comemorar a derrubada do rol taxativo. “Depois de muita luta no Congresso e, principalmente, da sociedade civil organizada, gora é Lei! Foi sancionado o PL 2033, que derruba o rol taxativo! Uma luta histórica contra o retrocesso que vai garantir o direito à saúde e à dignidade de milhares de famílias brasileiras”, afirmou Randolfe.

SAIBA MAIS

Compartilhar notícia:






Veja mais notícias

Operação provoca tiroteio, fecha vias públicas e deixa três mortos

(FOLHAPRESS) - Uma operação policial no Complexo da Maré,...

Cadeirante morre após ser baleada em ataque a Escola; atirador ficou ferido

Uma aluna cadeirante, identificada como Geane da Silva Brito,...

Bagattoli escolhe Pastor Valadares como 1º suplente ao Senado; Candidatos pretendem lutar por pautas da direita

Buscando representar setores importantes da sociedade rondoniense, Jaime Bagattoli escolheu...

Bolsonaro lidera com folga nas redes com 49 mi de seguidores

O presidente e candidato à reeleição pelo PL, Jair...