Ex-prefeita de Cacoal, Glaucione Rodrigues, é hospitalizada com dengue

Date:

Nos últimos meses diversas pessoas relataram que foram contaminadas por dengue em Cacoal. Muitos afirmam que o Município está vivendo um surto da doença e divulgam a situação nas redes sociais, como fez a ex-prefeita Glaucione Rodrigues, que informou que contraiu a doença e precisou ser hospitalizada.

Na publicação, a ex-prefeita diz que os sintomas começaram aparecer no dia 29 de dezembro. Alertou também para a grande quantidade de pessoas internadas por causa da doença.
Veja a publicação:
Quero deixar um alerta para vocês, está tendo um surto de dengue, inclusive eu peguei, e no dia 29 começaram os sintomas, não é fácil.
Recomendo que cada um possa fazer sua parte, se cuidando, cuidando dos quintais, para que possamos evitar os focos de dengue que já está levando muita gente para o hospital. Estou em recuperação com soro e alguns medicamentos. Deus abençoe a todos.

Ex-prefeita Glaucione Rodrigues no hospital
Ao Segundo News, Glaucione Rodrigues informou que se recupera em casa, e voltou alertar para os cuidados que devem ser tomados pelos moradores com os quintais.
“Precisamos alertar o povo, pois é muito sofrido passar por esta doença. Precisamos de mais cuidados com os quintais e potencializar o fumacê”.
 
BAIXA PROCUCRA ÀS UBS
Mesmo com vários casos relatados, principalmente nas redes sociais, o setor de Vigilância Ambiental em Saúde do Município, revela que a procura pela população nas Unidades Básicas de Saúde para a notificação  de casos de dengue, zika e chikungunya é baixa.
De acordo com o coordenador da vigilância ambiental, Flaviano Melo, em entrevista ao Segundo News, de outubro até o dia 28 de dezembro, as notificações de casos positivos de dengue em Cacoal giravam em torno de 50, porém, conforme as informações de boca a boca e em redes sociais mais de 150 pessoas podem ter sido acometidas pela doença nos últimos meses, mas a maioria não procurou uma Unidade Básica de Saúde (UBS)  para fazer notificações, e com isso realizar os exames para detecção.
Ainda de acordo com Flaviano, mesmo sem ter casos notificados suficientes para solicitar o carro de UBV pesado da Agência Estadual de Vigilância Ambiental (Agevisa),  que é um veículo adaptado com bombas usadas em fumacê para bloquear a transmissão das doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti, mas o veículo só pode ser liberado pelo órgão quando há uma grande quantidade de casos notificados na cidade.
 “Se a população tivesse procurado as Unidades Básicas de Saúde já estaríamos com o carro de UBV pesado em Cacoal, pois a Agevisa só pode liberar o veículo se tiver notificação no sistema, mesmo assim o município está solicitando a Agevisa o envio do carro para complementar as ações  em relação ao combate ao Aedes”, afirma Flaviano.
Fonte: Segundo News

 

Compartilhar notícia:





Veja mais notícias

Ceeja em Cacoal deve atender 1.300 estudantes este ano; matrículas estão abertas até o dia 28

O retorno das aulas do Centro Estadual de Educação...

Prefeitura recebe veículo de transporte de maquinário obtido por emenda do deputado Mauro Nazif

Na manhã desta quinta-feira o Município de Cacoal recebeu...

Rondônia: Comprador de gado é executado a tiros em lanchonete no centro

O comprador de gado, Cicero de 52 anos, popularmente...