Quinta-feira, 19 de maio de 2022, às 12:15:56- Email: [email protected]



Guerra: a derrota da Rússia

Os russos destruíram a sua imagem no mundo todo e jogaram fora mais de três décadas de reaproximação com os mercados da Europa e de toda a economia capitalista

Professor Nazareno*

A invasão de tropas russas ao território da Ucrânia não deixa quaisquer dúvidas: a Rússia vencerá esta guerra de qualquer jeito. É apenas uma questão de dias. A Ucrânia não é páreo e não conseguirá mais se defender por muito tempo. Os russos têm o segundo maior exército do mundo e o maior arsenal de armas nucleares do planeta, embora, acredita-se, que não precise usar essas armas de destruição em massa apesar das constantes e perigosas ameaças do governo russo nesse sentido. Mas a Rússia perderá esta guerra: isso pelo menos no campo econômico. Num mundo globalizado, as sanções econômicas funcionam pior do que os mísseis balísticos ou uma infantaria bem treinada. Os russos destruíram a sua imagem no mundo todo e jogaram fora mais de três décadas de reaproximação com os mercados da Europa e de toda a economia capitalista.

Isso sem falar nos boicotes esportivos impostos ao país para puni-lo por ter invadido sem nenhuma necessidade um país soberano reconhecido internacionalmente. Atletas da Rússia e também de Belarus estão proibidos de participar de Olimpíadas, paraolimpíadas, Olimpíadas de inverno, Copa do Mundo de futebol, campeonatos europeus de futebol e de vários outras modalidades esportivas que acontecem no mundo inteiro. Os russos estão fora de todos os sistemas financeiros internacionais como o Swift e não podem fazer compensações bancárias envolvendo moedas internacionais. Além disso, todos os magnatas e bilionários russos tiveram seus bens bloqueados ou congelados em vários países do exterior. Aviões comerciais da Rússia estão proibidos de sobrevoar o espaço aéreo de muitas nações assim como os navios não podem atracar.

- Advertisement -

Fala-se na mídia ocidental que Vladimir Putin estaria com um câncer em estado terminal. Por isso, tem muita pressa para tentar reconstituir, na marra, o antigo império soviético, que fora desfeito no início da década de 90 do século passado. Ou seja, como o previsto, tenta repetir tragicamente a História. Este conflito no coração da Europa trará de volta à cena mundial a guerra fria que dominou o cenário internacional entre 1947 e 1991. Mas o povo russo lucraria muito mais se continuasse com a integração ao bloco europeu em vez de enfrentá-lo nos campos de batalha. O mundo hoje está diferente e a maioria das pessoas abomina as guerras e as mortandades inúteis. Integração entre os povos, contatos com novas culturas e sociedades, consumo de bens, intercâmbios em vez de canhões, tiros, bombardeios e matanças. Lamentavelmente muitas pessoas inocentes ainda vão morrer por causa de poucos que decidem suas vidas.

*Foi Professor em Porto Velho.

Compartilhar notícia:






Veja mais notícias