INSS é condenado a conceder auxílio-doença acidentário à funcionária do Bradesco em mais uma ação ajuizada pelo Sindicato dos Bancários de Rondônia

Date:

A ação foi conduzida pela advogada Thays Fernanda Pinheiro Batista de Oliveira, que presta assessoria jurídica ao SEEB-RO.

Em mais uma ação ajuizada pelo Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO), em caráter de concessão de tutela antecipada a justiça condenou, no dia 14/12, o INSS a reconhecer – e conceder – o auxílio-doença acidentário (B 91) a uma bancária. Dessa vez a uma funcionária do Bradesco de Porto Velho, que também está adoecida por tantos anos de trabalho à instituição financeira e não pode voltar ao trabalho por sua evidente incapacidade laboral.

A trabalhadora já é segurada da Previdência Social, e funcionária do Bradesco desde janeiro de 2010, e nesses 22 anos, acabou desenvolvendo doenças ocupacionais (ocasionadas pelo trabalho) que, atualmente, a incapacitam para o exercício de suas atividades habituais no banco. Ela já havia recebido o auxílio acidente em razão de decisão proferida em outro processo. Contudo, ao requerer o auxílio-doença na via administrativa, no dia 5 de fevereiro de 2021, teve seu pedido indeferido, pois o INSS alegava não haver constatação da incapacidade laboral.

A prova técnica realizada por perito médico nomeado pela Justiça concluiu que a bancária está incapacitada de forma parcial e permanente para qualquer atividade que demande esforços repetitivos), possuindo capacidade residual de trabalho, podendo ser reabilitada em outra função. O laudo confirmou a existência de nexo de causalidade entre sua atividade laboral e a enfermidade apresentada.

A juíza de Direito Elisângela Nogueira, da 6ª Vara Cível de Porto Velho (TJ-RO) julgou procedente o pedido e confirmou a tutela de urgência e condenou o INSS a:

1) Implementar, em favor da requerente, o benefício previdenciário de auxílio-doença acidentário, com DIB e DIP em 14/12/2021 (data da sentença);

2) Pagar à requerente as verbas retroativas, referentes ao benefício de auxílio-doença acidentário, no período de 08/02/2021 (data do indeferimento administrativo) até 14/12/2021 (data da sentença), devendo ser deduzidos valores recebidos no curso do processo em sede de tutela de urgência (se for o caso), devendo ser submetido a reabilitação profissional, nos termos do art. 62 da Lei n. 8.213/91.

A ação foi conduzida pela advogada Thays Fernanda Pinheiro Batista de Oliveira, do Escritório Fonseca & Assis Advogados Associados, que presta assessoria jurídica ao SEEB-RO.

Processo 7013181-25.2021.8.22.0001

Por SEEB-RO

Compartilhar notícia:





Veja mais notícias

SAÚDE – Edital de seleção de médicos segue aberto em Porto Velho com baixa apresentação de profissionais

Falta de profissionais reflete no atendimento em unidades de...

Motorista flagra caminhonete capotada sozinha às margens da BR 174, em Vilhena

Nesta quinta-feira, (27), um motorista que passava pela BR-174,...

Traficantes são presos na fronteira com mais de meia tonelada de droga

Mais de 608 kg de de cocaína, avaliados em...

MEC oficializa pagamento do Piso do Magistério

Por meio das redes sociais o presidente, Jair Bolsonaro,...