Jiparanaense mobiliza a polícia em Rondônia e Amazonas e é encontrado em um sítio junto com a amante

Date:

“Branco, forte, aproximadamente 1,60 metros de altura, cabelo crespo castanho e olhos verdes e uma cicatriz no tornozelo esquerdo”. Essa foi a característica física do marido, com 36 anos, apresentada por sua mulher, de 33 anos, que procurou a 1ª Delegacia Civil de Ji-Paraná na tarde da última terça-feira (11) para comunicar o desaparecimento de seu companheiro.

Ele saiu de casa no domingo à tarde com destino a Porto Velho, dizendo que iria à capital do estado realizar um curso numa operadora de telefonia móvel. O indivíduo saiu de casa localizada no Residencial Açaí na madrugada de segunda-feira (10) e viajou em um veículo Grand Siena Attractiv 1.4 de cor branca, com emplacamento de Ji-Paraná.

Segundo a mulher, a partir das 7h36min o WhatsApp do seu amasio não visualizou mais mensagens; ela informou à polícia ligou para amigos, parentes e colegas de trabalho em Porto Velho e não obteve nenhuma notícia.

A partir de então, a Polícia Civil de Ji-Paraná acionou todas as delegacias no eixo da BR-364, a Polinter, a Polícia Militar e o homem que disse a esposa ter ido para Porto Velho começou a ser procurado.

A Polícia Civil de Rondônia acionou a polícia do Amazonas, informando que o Grand Siena foi localizado em Apuí, na Rua Santo Antônio, a 00:34:31 da madrugada de quarta-feira. O “cursante” desligou o aparelho celular para não ser localizado, mas se esqueceu que seu veículo tem localizador por GPS, a família rastreou e o veículo foi localizado.

O delegado de Apuí, Francisco Rocha, foi comunicado do fato e mobilizou uma equipe policial para es deslocar ao endereço informado pela polícia rondoniense. No endereço, foi informado aos policiais que o cidadão de Ji Paraná se encontrava em um sítio a 40Km de Apuí na companhia de uma “gata”, de duas pernas e cabelos longos.

Como diz o ditado: mentira tem perna curta. O curso era de ta. Por causa de uma escapadinha do infiel causou desespero para a família, mobilizou três delegacias de polícia em Rondônia e a Delegacia Civil de Apuí.

O delegado de Apuí ficou indignado com a mentira descarada do indivíduo de Ji-Paraná que, mesmo nesses tempos de pandemia do novo coronavírus, para dar uma “pulada de cerca” causou desespero e tensão em sua família e ainda mobilizou policiais de dois estados para localizá-lo.

Fonte: correiocentral

Compartilhar notícia:





Veja mais notícias

Esquadrão antibomba é acionado após suspeita de explosivos dentro de carro em Rondônia

O esquadrão antibomba da Polícia Militar (PM) foi acionado...

Pai é preso após ser flagrado tentando estuprar a filha autista

Um idoso, de 81 anos, acabou detido e encaminhado...

MP pede inconstitucionalidade de decreto que regulamenta a extração de minério rios de RO

    O Ministério Público de Rondônia (MP-RO) ingressou com uma...