Queiroga ataca governadores contrários à prescrição para vacinar crianças

Date:

Segundo o ministro, os governadores não são médicos e estão interferindo nas secretarias de Saúde dos estados. O Ministério da Saúde recomenda que a vacinação do público infantil seja feita apenas com apresentação de prescrição médica

GB
Gabriela Bernardes*
o: Ed Alves/CB)

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, criticou, nesta quarta-feira (29/12), os prefeitos e governadores contrários à prescrição médica para vacinar crianças de 5 a 12 anos contra a covid-19. Segundo o ministro, os chefes do Executivo não são médicos e estão interferindo nas secretarias de Saúde dos estados.

“Governadores falam em prescrição (médica), prefeitos falam em prescrição. Pelo que eu sei, a grande maioria deles não é médico, então eles estão interferindo nas secretarias estaduais e municipais”, disse em conversa com jornalistas na entrada do ministério.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a aplicação da vacina Pfizer contra o novo coronavírus em crianças de 5 a 12 anos em 16 de dezembro. Desde então, o assunto tem gerado polêmicas. O Ministério da Saúde abriu uma consulta pública, disponível até este domingo (2/1), e recomenda que a vacinação seja feita com apresentação de prescrição médica.

Apesar da recomendação, pelo menos 15 estados demonstraram que não vão exigir o documento médico. Para Queiroga, tanto os estados quanto os municípios devem se manifestar apenas por meio da consulta pública realizada pela pasta. “A recomendação do Ministério da Saúde está aí para que todos os brasileiros tomem conhecimento, para que a sociedade civil possa se manifestar. A consulta pública é um instrumento da democracia, amplia a discussão sobre o tema e dá mais tranquilidade aos pais para que eles possam levar os seus filhos às salas de vacinação”, afirmou.

‘Estamos indo muito bem, obrigado’

Ao ser questionado sobre o posicionamento do ministério sobre a imunização de crianças, o ministro disse que a manifestação da pasta está explícita na consulta à população. Rebatendo as críticas sobre o perfil negacionista do Governo sobre as vacinas, Queiroga ainda citou a doação de doses da vacina do Brasil para o mundo. “Nosso país, através da determinação do presidente Jair Bolsonaro, é signatário de um grupo que cumpre vacinações ao nível mundial. Produzimos vacinas na Fiocruz, junto com ações do governo federal. Temos nossa população fortemente vacinada e avançamos com adolescentes”, declarou.

De acordo com o ministro, o Brasil está “indo muito bem, obrigado” em relação ao enfrentamento à pandemia.

*Estagiária sob a supervisão de Vinicius Nader

Compartilhar notícia:





Veja mais notícias

Ceeja em Cacoal deve atender 1.300 estudantes este ano; matrículas estão abertas até o dia 28

O retorno das aulas do Centro Estadual de Educação...

Prefeitura recebe veículo de transporte de maquinário obtido por emenda do deputado Mauro Nazif

Na manhã desta quinta-feira o Município de Cacoal recebeu...

Rondônia: Comprador de gado é executado a tiros em lanchonete no centro

O comprador de gado, Cicero de 52 anos, popularmente...