Surto de gripe é confirmado em Rondônia; 485 casos foram registrados apenas em dezembro

Date:

O Governo de Rondônia confirmou nesta sexta-feira (17) que o estado passa por um surto de gripe. Somente em dezembro, a Secretaria de Saúde (Sesau) registrou 485 casos de Influenza no estado.

“Dos 485 [casos de Influenza], seis pacientes estão internados, sendo três em enfermarias e três em estado grave nas UTIs”, informou o secretário estadual de saúde, Fernando Máximo.

O surto da síndrome gripal atinge tanto crianças quanto a população adulta em Rondônia. No vídeo acima, o secretário estadual de saúde fala o perfil dos três pacientes internados em estado grave: um tem 75 anos, o outro tem 37 e o outro é uma criança de 2 anos.

“A gente acredita que esse aumento no número de casos de gripe se deve principalmente pelo relaxamento das pessoas quanto ao uso de máscaras e pelo fato das pessoas não terem se vacinado contra a gripe. Por isso, a gente convoca todas as pessoas de seis meses de idade, até idosos, passando inclusive pelas grávidas que procurem um posto para se vacinarem contra a gripe”, pediu o secretário.

A Sesau também confirmou que o surto tem gerado expressivo aumento de demanda na Policlínica Ana Adelaide, que atende população adulta, e no Hospital Infantil Cosme e Damião, ambos localizados em Porto Velho.
A orientação da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), é que a população use como medida de prevenção e controle da Influenza as mesmas ações adotadas durante a pandemia de Covid-19, como:

O uso de máscaras
Limpeza e desinfeção de ambientes
Higiene das mãos
Distanciamento social
Influenza e Covid: diferença nos sintomas
Influenza
A gripe, como é chamada a infecção pelo vírus Influenza, apresenta sintomas agudos logo nos primeiros dias da doença, entre eles:

Febre alta
Calafrios
Dores musculares
Tosse
Dor de garganta
Intenso mal-estar
Perda de apetite
Coriza
Congestão nasal (nariz entupido)
Irritação nos olhos.
Covid-19
Já nos casos de Covid, a doença começa a evoluir a partir do 7° dia, podendo ou não levar a um quadro de insuficiência respiratória.

No momento, o mundo observa atento como a nova variante do coronavírus, a ômicron, se comporta, mas evidências preliminares já sugerem que ela é mais transmissível que as demais cepas.

De acordo com pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, os sintomas da ômicron são “diferentes” das cepas anteriores do coronavírus e incluem:

Dor de garganta
Dor no corpo, principalmente na região da lombar
Congestão nasal (nariz entupido)
Problemas estomacais e diarreia.
No Brasil, as variantes delta e gama ainda são predominantes. Seus sintomas podem incluir:

Perda de olfato e paladar
Dor no corpo
Dor de cabeça
Fadiga muscular
Febre
Tosse.

Fonte: G1

Compartilhar notícia:





Veja mais notícias

SAÚDE – Edital de seleção de médicos segue aberto em Porto Velho com baixa apresentação de profissionais

Falta de profissionais reflete no atendimento em unidades de...

Motorista flagra caminhonete capotada sozinha às margens da BR 174, em Vilhena

Nesta quinta-feira, (27), um motorista que passava pela BR-174,...

Traficantes são presos na fronteira com mais de meia tonelada de droga

Mais de 608 kg de de cocaína, avaliados em...

MEC oficializa pagamento do Piso do Magistério

Por meio das redes sociais o presidente, Jair Bolsonaro,...